Futebol

Rodolfo Reis rendido a João Mário e deixa ataque a Fernando Santos

João Mário pode ser o elemento que muda tudo no Benfica. O treinador Jorge Jesus mostra-se muito satisfeito com a contratação do antigo médio do Sporting e também Rodolfo Reis parece estar convencido com aquilo que o internacional português pode acrescentar aos encarnados.

Rodolfo Reis é comentador do FC Porto, mas teceu rasgados elogios ao novo jogador do Benfica. Depois de uma contratação polémica e com promessa de retaliação, no Tribunal, da parte do Sporting, João Mário parece estar a adaptar-se muito bem à nova equipa.

O jogador já tinha sido destaque no campeão Sporting, na temporada passada. Agora, volta a trabalhar com Jorge Jesus e pode devolver alguma tranquilidade ao meio-campo encarnado. Jorge Jesus comentou o que diferencia João Mário dos outros médios que o Benfica tinha, e Rodolfo Reis, na CMTV, também se mostrou rendido.

“O João Mário é tal e qual aquilo que o Jorge Jesus disse. E o que disse de João Mário é aquilo que nós, homens do futebol, sabemos: é um jogador que pausa o jogo, que lhe dá velocidade, mas sem grandes sprints. A bola é que corre. Se eu correr com a bola demoro muito mais. Os grandes jogadores são estes, capazes de definir antes de receber a bola.

Isto é que é velocidade de jogo, isto é que é classe e categoria. Há jogadores que, de primeira, colocam a bola numa situação de contra-ataque quando a equipa está a defender. E João Mário tem isto. E vem trazer ao Benfica algo que a equipa não tinha“, começou por explicar o ex-dragão, após o encontro entre Benfica e Marselha, no estádio da Luz.

Entre os elogios a João Mário, o comentador da CMTV aproveitou para apontar críticas ao selecionador nacional Fernando Santos: “João Mário não foi ao Europeu porque o treinador se calhar não percebe desta coisa, ou percebe pouco desta coisa. Uma equipa é uma mescla de jogadores diferentes: uns dão umas ‘porradas’, outros jogam bem de cabeça, outros são rápidos. Se calhar, Fernando Santos levou muitos jogadores iguais e depois viu-se aflito, porque quando tirava um médio e metia outro o resultado era a mesma coisa”.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo